/ Séries

19Set 2016

Mais que TV: TAG: The Walking Dead

Postado por às em Mais que TV, TAG

Oi amores!

Quando minha irmã gravou a TAG Séries eu percebi o tanto que ela gostava de The Walking Dead e resolvemos gravar ela também. Eu confesso que nunca assisti nenhum episódio, mas fiquei curiosa.

Quem é inscrito no canal do blog no Youtube vê os vídeos primeiro, então não deixe de se inscrever!

Perguntas:

1- Como você se sente assistindo a série?
2- Arma preferida da série?
3- Quais seus personagens favoritos que já morreram?
4- Vilão favorito?
5- Temporada preferida
6- Lugar preferido da série
7- Que casal você acha que vai se formar na série?
8- Pior personagem feminino
9- Pior personagem masculino
10- Coisa idiota que não deveria ter acontecido na série?
11- Personagem preferido
12- Dica de sobrevivência mais útil que você 
aprendeu assistindo a série?
13- Quem deveria ter morrido e ainda não morreu?
14- Quem vai sobreviver até o final?

09Jun 2016

1 LIVRO POR MÊS: Bridget Jones – Louca pelo Garoto

Postado por às em Cultura, Livros

Título original: BRIDGET JONES: MAD ABOUT THE BOY
Páginas: 440
Lançamento: 28/10/2013
Selo: Companhia das Letras


Primeiro de tudo: não é um lançamento! Mas tenho quase 70 livros aqui em casa que ainda não li e prometi a mim mesma que leria mais esse ano ( e até coloquei como meta de 2016) e então, pra cumprir minha promessa, me propus a ler 1 livro por mês.

Depois de anos, 14 pra ser mais exata, foi lançado Bridget Jones: Louca pelo Garoto e como havia lido os outros dois livros, resolvi comprar e confesso que o livro não me pegou de vez. Sabe quando a leitura, apesar de leve vai se arrastando e vocẽ não consegue terminar o livro nunca? Foi assim com esse.

O livro conta a história de Bridget após 5 anos de viúva (sim, Mark Darcy morreu num acidente diplomático) com 2 filhos Mabel e Billy que são uns fofos. Ela se vê sozinha e desamparada, lutando contra as cobranças da mãe com suas roupas e com a criação dos seus filhos. Mas ainda tem os mesmos amigos Tom, Jude e Thalita que ajudam, da maneira deles a reconfortá-la. E tem toda uma nova comunidade escolar envolvida, com as mesmas dificuldades de adaptação que ela encontrava aos 30 anos, só que agora viúva e com filhos.
Enquanto isso, ela tenta voltar a se sentir mulher e é quando aparece Roxster de 29 anos. Ela, já cinquentona, tentando lidar com os termos “meia-idade” e “tigresas” se vê apaixonada por um garotão. E o que seria mais improvável, que era a diferença de idade, paira na relação dos dois.
Não posso falar mais nada porque eu vou ser spoiler e apesar de o livro não ser um lançamento, quando você sabe do final da história, o livro pode ficar sem graça.

É difícil falar porque eu não gostei do livro sem contar algumas coisas, mas no final, ela escolheu o que seria mais cômodo, mais “aceitável” e mais altruísta, se é que eu posso dizer assim. Mas de qualquer forma, ela não pensou somente no prazer dela e abriu mão daquilo e, certa forma, fez quem que o outro abrisse mão dela. E o final… foi o que mais me desagradou mesmo porque senti que houve um sentimento forçado pela autora em Bridget para que se acertasse e ficasse uma “família tradicional”. No fim, acho que foi isso mesmo.

Como disse, foi um livro que eu fui me arrastando e acabei de ler, mais por obrigação do que por prazer mesmo.

22Jan 2015

Estou vendo: Modern Family #seriados

Postado por às em Cultura, Filmes-TV-Séries



Há tempos não tinha uma série preferida e sempre procurava alguma coisa mais light pra acompanhar. Aí vi a Nina Secrets indicando a série Modern Family e como tinha no NetFlix resolvi assistir… é MUITO LEGAL!

SINOPSE:
A série segue as famílias de Jay Pritchett, sua filha Claire Dunphy , e seu filho Mitchell Pritchett que vivem em Los Angeles. Jay é casado com uma mulher colombiana muito mais jovem que ele chamada Gloria, que é ajudada por Jay a criar seu filho pré-adolescente, Manny. Claire é uma mãe e dona de casa casada com Phil Dunphy e o casal têm três filhos. E por fim, Mitchell que é casado com Cameron Tucker, eles adotaram uma bebê vietnamita chamada Lily.


O título (Modern Family) é bem fiel à série e a família é bem engraçada e foge do convencional. Os personagens são incríveis, bem elaborados e embora seja comédia, não chega ao besteirol, porque muitas situações são bem possíveis de acontecer. Eu não gostava de comédias americanas porque elas não condiziam com nossa cultura e muitas vezes eu não achava graça porque eu não entendia da cultura; e não é o que acontece com essa série. Como eu disse antes, muitas situações são possíveis de acontecer e é o que faz a graça nas coisas. O único personagem que eu acho forçado, às vezes, é o Phil, marido da Claire, mas dentro do contexto até passa.

Estou na 3ª temporada e estou AMANDO. Para quem não tem NetFlix, eu sei que passava na FOX e que a BAND começou a exibir por um tempo.

Para quem quer ver on-line, tem esse link aqui!