/ diario

05Dez 2017

Diário da Maternidade: Primeira viagem com Maria Luísa | #maedeprimeiraviagem

Postado por às em Maternidade


Oi oi oi!!! No finalzinho de setembro, Maria Luísa fez a primeira viagem dela! Fomos pra Rio Quente em Goiás, que é pertinho daqui de Uberlândia e ficamos num apartamento. Lá em Rio Quente tem o famoso resort Rio Quente Resorts e o parque aquático Hot Park mas ficamos com medo de ir com ela muito novinha e optamos pelo apartamento no Thermas Paradise que é um complexo de apartamentos que tem o rio quente que passa no fundo dos prédios.
Não vou falar muito porque senão perde a graça de ver o vídeo, que não ficou profissional porque faço poucos vlogs, mas foi feito com amor!!

Aqui tem um pouquinho do que postei no Instagram

28Nov 2017

Diário da Maternidade: Primeiros meses com o Maria Luísa | #maedeprimeiraviagem

Postado por às em Maternidade


Enrolei bastante mas estou aqui pra falar um pouco de como a minha vida mudou depois que Maria Luísa, ou Malu, chegou!

Quando engravidamos, nunca pensamos mesmo como a nossa vida vai ser diferente e como, as vezes, vai parecer impossível lidar com essa nova vida. Tive uma gravidez muito tranquila, inclusive fiz cesariana porque não senti nenhuma dor do parto, não tive contrações (apenas as de treinamento que você tem ao longo da gravidez), não tive dilatação, não tive nada gente! Pressão normal, tudo normal, marcamos a cesariana e Malu nasceu!

O primeiro mês parecia não ter fim! Eu tive muita dificuldade de me adaptar à rotina dela. Ela era um bebê recém nascido que não dormia. E o sono ia acumulando e isso culminava em horas de choro a noite. Mas nas madrugadas ela dormia bem para uma recém nascida. Dormia e acordava de 3 em 3 horas pra mamar.
O choro deles é desesperador! E a gente não sabe o que faz porque você não sabe o que é. Eu ia fazendo um ritual todas as vezes: olhava a fralda, dava peito, tentava ninar pra dormir e muito colo e amor!
A amamentação foi o mais difícil no início. Meu peito empedrava muito, doía. Meus mamilos sangravam e pareciam que estavam enfiando uma faca no meu peito. Cada mamada um choro meu. Por fim, tinha tanto leite que tinha que tirar com a bombinha antes dela mamar porque senão ela engasgava. Outro susto. E quando eu achava que as coisas iam se ajeitar, dei mastite. Mas fui ao médico, tomei os remédios e passou!
Enfim o primeiro mês acabou e ela foi acalmando, me conhecendo e conhecendo o novo mundo! Eu comecei a reconhecer os choros e é muito mais confortante saber o porque do choro, assim você pode socorrer melhor!
Ela estava dormindo comigo no meu quarto no carrinho, mas numa madrugada, acordei com ela com as perninhas de fora do carrinho. Era hora de passar pro berço e, consequentemente, pro quarto dela. O berço dela não cabia no meu quarto e nem um moisés (que são aqueles berços menores pra recém nascidos). Então, a solução seria o berço mesmo no outro quarto e foi um sucesso. Ela não estranhou. Fui fazendo a transição gradualmente, porque nas sonecas do dia, sempre colocava ela pra dormir no berço, mesmo recém nascida. Ela não estranhou.
A minha preocupação era outra agora. Indo para o terceiro mês, ela estava engordando muito. Estava numa média de 1,5kg por mês. Estava dentro da curva de crescimento mas estava engordando muito.
Eu sempre me preocupei em não fazer uma rotina à risca com ela porque precisaria voltar a trabalhar e não sabia se a rotina que eu “criasse” poderia ser mantida. A única rotina é a de dormir. À noite é banho, mamada, cama!
Com 4 meses muitas coisas se estabilizaram. Ela mama em horários específicos, estabeleceu rotina de sono, dorme bem de dia e à noite, e é um amor de menina, super risonha! Eu voltei a dormir mais tempo na noite, meus seios pararam de inchar e agora temos um novo desafio, minha volta ao trabalho.
Volto depois com outro texto. Beijos!

15Set 2017

Diário de Gravidez: Remédios, posso tomar?

Postado por às em Diário de Gravidez

Antes de começar o assunto do post queria dizer que minha filha já nasceu! Tinha dois posts antigos (esse e mais um sobre parto) que eu não tinha postado porque o final da gestação foi terrível, mas vou postar os dois da mesma forma.

Uma das coisas que mais me apavoravam antes de engravidar era a dúvida de quais remédios poderia tomar e SE poderia tomar alguns. Eu tenho enxaqueca forte, rinite, sinusite, líquen nítido e as crises, muito fortes, me abatiam muito e, várias vezes me levaram ao hospital porque remédios não funcionavam. 

Quando fiquei grávida, peguei TODOS os meus remédios e levei pra minha Ginecologista. E acho que foi a decisão mais acertada que eu fiz. Mesmo sem crises eu perguntei antes o que eu poderia e o que não era permitido.  Até sobre gripe eu perguntei. 

Eu acredito que a auto medicação é um problema grave e a gravidez aumenta essa preocupação porque um simples remédio pode dar uma complicação inesperada. E falar abertamente com o obstetra que está acompanhando sua gravidez, é o mais certo. E o que eu fiz foi prevenção. Não quis esperar as crises pra ficar louca atrás de médico. Foi uma decisão certa pra mim e um ponto positivo na gestação.