/ Cultura

13Jun 2015

E o Dia dos Namorados dos Solteiros?

Postado por às em Pessoal


Ontem, Dia dos Namorados, e vendo minha Timeline no Facebook, me deparei com esse texto que uma amiga colocou. Tenho muitas amigas solteiras por opção e adorei o texto, mesmo que não seja o meu caso. Pra quem é solteiro, vale a pena a leitura:

“E o namorado?” Alguém vai me perguntar. Aí vou sorrir e responder: “Estou solteira!”. E logo depois vem aquela cara de: “nossa, coitadinha”, quando ao meu ver era a hora certa da pessoa me abraçar e pularmos gritando: “Parabéns Campeã!” Sabe, realmente não entendo essas pessoas que colocam o fato de encontrar uma pessoa como sendo um dos objetivos primordiais da vida. Como se a ordem natural fosse: nascer, crescer, conhecer alguém e morrer. A meu ver, não é assim. As pessoas se dizem solteiras como quem diz que está com uma doença grave, alguém que precise de ajuda. Não é nada disso. Existe sim vida na “solteridão”! E das boas. E isso não quer dizer farra, putaria, poligamia ou promiscuidade. Aliás, quer dizer sim, mas só quando você tiver afim. No mais quer dizer liberdade, paz de espírito, intensidade. E olha que escrevo isso com algum conhecimento de causa, já que tenho vários anos de namoro no currículo. De verdade, do fundo do coração, eu estou muito bem solteira. Acho até que melhor que antes. Gosto de acordar pela manhã sem saber como vai terminar meu dia. Gosto da sensação do inesperado, da falta de rotina e de não ter que dar satisfação. Gosto de poder dizer sim quando minha amiga me liga na quinta-feira perguntando se quero viajar com ele na manhã seguinte. De conhecer gente nova todos os dias. De não ter que fazer nada por obrigação. De viver sem angústia, sem ciúme, sem desconfiança. De viver. Acredito que todo mundo precisa passar por essa fase na vida. Intensamente inclusive. Sabe, entendo que talvez essa não seja sua praia. Ou talvez você nunca vá saber se é. Eu mesmo não sabia que era a minha. O que percebo são pessoas abraçando seus relacionamentos como quem segura uma bóia em um naufrágio. Como se aquela fosse sua última chance de sobrevivência. Eu não quero uma vida assim. Nessa hora talvez você queira me perguntar: “Mas e aí? Vai ficar solteirão para sempre? Vai ser assim até quando?” E eu vou te responder com a maior naturalidade do mundo: “Vai ser assim até quando eu quiser”. Quando encontrar alguém que seja maior que tudo isso, ou talvez alguém que consiga me acompanhar. Não estou dizendo que não quero uma alma gêmea, eu quero, mas desde que realmente seja um relacionamento que me acrescente, que seja encontrado naturalmente e não procurando desesperadamente.
E não venha me dizer que aquele relacionamento meia boca seu é algo assim. O que eu espero é bem diferente. Quando se gosta da vida que leva, você não muda por qualquer coisa. Então para mim só faz sentido estar com alguém que me faça ainda mais feliz do que já sou, e como sei que isso é bem difícil, tenho certeza que o que chegar será bem especial. E se não vier também está tudo bem sabe? Eu realmente não acho que isso seja um objetivo de vida. Não farei como muitos que se deixam levar pela pressão dessa sociedade. Tanta gente namorando pra dizer que namora, casando pra não se sentir encalhado, abdicando da felicidade por um status social. Aí depois vem a traição, vem o divórcio, a frustração e todo o resto tão comum por aí. Não, não. Me deixa aqui quietinho com a minha vida espetacular. Pra ser totalmente sincero com você, a real é que não é sua situação conjugal que te faz feliz ou triste. Conheço casais extremamente felizes, apaixonados de verdade e que realmente se encontraram, e outros que estão há anos fingindo que dão certo. Conheço gente solteira que tem a vida que pedi para Deus e outros desesperados baixando aplicativos de paquera e acreditando que a(o) ex era o grande amor e que perdeu sua grande chance. Quanta bobagem. A verdade é que só você mesmo pode preencher o seu vazio, e colocar essa missão nas mãos de outra pessoa e pedir pra ser infeliz. Conheco sim vários casais incríveis, assim como tantos outros que não enxergam que estão se matando pouco a pouco. Só peço que não deixem que o medo da solidão faça com que a tristeza pareça algo suportável. Viver sozinho no início pode parecer desesperador, mas de tanto nadar contra a maré, um dia você aprende a surfar. E te digo que quando esse dia chegar, você nunca mais vai se contentar em ficar na areia. Desse dia em diante só vai servir ter alguém ao seu lado se este estiver disposto a entrar na água com você.

P.S.: Achei que o texto fosse de autoria da minha amiga, mas já o vi em outros sites. Se alguém souber, me avise para dar o crédito.

08Fev 2014

Filme do mês: Oblivion

Postado por às em Cultura, Filmes, Mais que TV


SINOPSE:
2077. Jack Harper (Tom Cruise) é o responsável pela manutenção de equipamentos de segurança em um planeta Terra irreconhecível, visto que a superfície foi destruída devido a confrontos com uma raça alienígena. O que restou da humanidade vive hoje em uma colônia lunar. Jack irá para este local daqui a duas semanas, já que está perto de terminar seu trabalho na Terra. Só que, um dia, ele encontra uma espaçonave que traz uma mulher dentro. Ao conhecê-la, tudo o que Jack sabe até então é posto em dúvida. É o início de uma jornada onde ele precisará descobrir o que realmente aconteceu no passado.

Oblivion é um filme de ficção científica e eu gostei muito de ver. É um filme instigante e prende a atenção. A minha análise do filme é como mera espectadora e é um filme bom, legal pra ver com marido e amigos. Tem ação e suspense na medida… até um romancinho. Hahaha!
Vale a pena ver!

25Nov 2013

Livros: O Estrangulador – A Perseguição – Os Doze Mandamentos – Sidney Sheldon

Postado por às em Cultura, Livros


Um dos primeiros livros que li, era do Sidney Sheldon. A maior parte dos livros que li dele tinham um suspense e eu achava isso muito bom porque me prendia no livro. Mas tinha muito tempo que não lia nenhum livro dele porque a maior parte dos livros que li na adolescência fica ainda na casa da minha mãe em Sete Lagoas.Como disse em um post anterior, adoro Sidney Sheldon porque a maioria dos livros é de leitura bem fácil, que flui bastante e o conteúdo prende nossa atenção.

Foi quando vi que a Avon estava vendendo alguns livros com edições populares e comprei esse box com alguns títulos que ainda não tinha lido.

RESUMO DOS LIVROS:
O ESTRANGULADOR
A polícia está em polvorosa. Um perigoso maníaco vem desafiando as mais brilhantes cabeças da Scotland Yard. Não deixa rastros. Exceto uma intrigante coincidência: o criminoso só ataca em dias de chuva.
O sargento Sekio Takagi está desesperado. Não há tempo a perder. Precisa urgentemente desvendar o quebra-cabeça mais terrível de sua carreira. Nesse momento o boletim meteorológico anuncia: “chuvas ao final da tarde sobre a capital inglesa”…

A PERSEGUIÇÃO
Com a morte de seus pais em um acidente aéreo nos Estados Unidos, o jovem Masao Matsumoto herda uma grande fortuna. Ele viaja imediatamente para os Estados Unidos e lá descobre que alguém pretende eliminá-lo para se apossar de sua herança. Então, Masao dá início a uma fuga desesperada por um país estranho, onde uma nova ameaça o espreita a cada instante.
Para escapar da perseguição, o órfão vai precisar de coragem e inteligência para vencer um jogo em que qualquer indecisão pode ser fatal.

OS DOZE MANDAMENTOS
Moisés desceu da montanha com duas tábuas de pedra nas quais estavam escritos os Dez Mandamentos da lei de Deus, conta a História sagrada. Mas o escritor Sidney Sheldon viaja ao passado para revelar um segredo: na verdade, são doze os mandamentos.
E, em vez da punição aplicada a quem não cumpre essas leis, os personagens de Sheldon recebem grandes recompensas, tornando-se ricos, famosos e felizes. Um padre transgride duas regras, Um homem azarado infringe o quarto mandamento e enriquece. E um religioso mata sua sogra. Uma sátira divertida do autor de sucessos…

O primeiro que li foi o Estrangulador e por ser um suspense, foi o livro que li mais rápido. Como disse antes, pra mim, o público alvo é infanto-juvenil, porque a linguagem e o tema são bem acessíveis.
A Perseguição não tem o suspense de descobrir o assassino, como existe em O Estrangulador, mas é um livro que prendeu minha atenção por querer saber o que iria acontecer ao rapaz, Masao. Estes dois primeiros livros são bem interessantes porque eles tendem a valorizar o gosto pela leitura. Já Os Doze Mandamentos, apesar da leitura fluir bem, é um livro que permite um olhar diferenciado, é irônico e tem uma dinâmica legal porque são contos que compõem o livro.

Não paguei mais que R$20,00 no trio e eles tem aproximadamente 200 páginas cada.